AeC

Relacionamento com Responsabildade

Notícias

Negócios

As lições de liderança de Abraham Lincoln

O que podemos aprender com o 16º presidente dos Estados Unidos

Imagem: CC0 Public Domain Pixabay

Abraham Lincoln é um dos presidentes mais celebrados da história norte-americana. Ele preservou a União durante a severa Guerra da Civil Americana, abolindo a escravidão e modernizando a economia. Afinal, o que fez dele um líder tão excepcional?

Explicamos algumas de suas características e as lições que podemos tirar delas:

1) Capacidade de ouvir diferentes pontos de vista
Lincoln foi capaz de criar um ambiente de paz em seu gabinete porque os membros eram livres para discordar entre si sem medo de retaliação. Ao mesmo tempo, ele sabia quando parar as discussões e, depois de ouvir várias opiniões, tomar a decisão final.

2) Consciência sobre as próprias fraquezas
Lincoln sabia que sua fraqueza era dar chances demais às pessoas e, porque ele tinha consciência disso, era capaz de compensar esse ponto de sua personalidade. Certa vez, o Comandante do Exército da União se recusou a obedecer suas ordens e o Presidente lhe deu um prazo para que as diretrizes fossem cumpridas, caso contrário ele seria removido da posição.

3) Ir a campo e gerenciar situações diretamente
Durante a Guerra Civil, vários soldados morreram e houve muitos altos e baixos. Lincoln estabeleceu conexões fortes com suas tropas fazendo visitas aos campos de batalha e hospitais. Ele sabia que as pessoas eram sua melhor fonte de informação, por isso tinha diversas reuniões com cidadãos ao longo do dia fazendo em seu governo uma política de portas abertas.

4) Habilidade de comunicar objetivos e visão de mundo
Lincoln era conhecido por ter a notável capacidade de expressar suas ideias para a população. Ele se comunicava com conceitos simples e eficazes, tudo isso através de histórias envolventes.

No livro “Lincoln On Leadership: Executive Strategies For Tough Times” (em tradução livre "Lincoln Sobre Liderança: Estratégias Executivas Para Tempos Difíceis"), o autor cita uma fala do Presidente que mostra seu apego por contar histórias:

“Eles dizem que eu conto muitas histórias. Acho que eu faço isso; mas eu aprendi em longa experiência que as pessoas simples são mais facilmente influenciadas por meio de uma ilustração ampla e bem-humorada do que de qualquer outra forma.”