AeC

Relacionamento com Responsabildade

Notícias

Sustentabilidade

Até que enfim: sem fim

Cientistas criam bateria que não acaba

Imagem: Alan Levine

Um dos grandes problemas que enfrentam os cientistas preocupados com a sustentabilidade é como aumentar a vida útil das baterias que mantêm em funcionamento, por exemplo, nossos celulares, tablets e notebooks. Geralmente, elas costumam durar em torno de quatro anos, precisando depois ser descartadas no meio ambiente e, logicamente, substituídas.

Porém, esses dias parecem estar contados. E isso porque cientistas da Universidade da Califórnia em Irvine, nos Estados Unidos, descobriram recentemente (e, o mais incrível, acidentalmente) um componente que faz com que uma bateria seja 400 vezes mais eficiente que as atualmente disponíveis.

Isto é, uma bateria capaz de continuar trabalhando normalmente após mais de 200 mil ciclos de carga. As que hoje utilizamos costumam morrer após 5, 6, 7 mil (no máximo) recarregamentos.

A busca por soluções que substituam as baterias de íon-lítio é uma obsessão na comunidade científica. Afinal, elas são muito sensíveis a variações de temperaturas, sua reciclagem é um grande problema e, como vimos, duram quase nada.

A solução descoberta por acaso pelos cientistas norte-americanos utiliza nanocabos de ouro recobertos com um gel de eletrólitos. Sua fabricação em massa ainda é colocada em xeque devido a utilização de ouro, que aumenta consideravelmente seu custo. Mas testes com metais mais comuns, como o níquel, já estão sendo feitos.