AeC

Relacionamento com Responsabildade

Notícias

Cultura

Para refletir

5 documentários que lhe farão repensar a humanidade

Imagem: Divulgação

O cinema, enquanto arte surgiu com o objetivo de promover algum tipo de reflexão para o espectador. Com o passar das décadas e o advento da indústria cinematográfica, os filmes definitivamente tornaram-se algo mais comercial e as fórmulas repetidas de narrativa passaram a ser comuns nos telões ao redor do mundo. Mas, claro, hoje ainda é possível encontrar alguns filmes capazes de provocar pensamentos críticos sobre a humanidade e tantas outras questões existenciais. Fizemos uma lista com alguns documentários que cumprem esse papel muito bem: 

Human

O filme de Yann Arthur-Bertrand tem como proposta trazer pessoas de todos os lugares do mundo para compartilharem suas perspectivas sobre a vida e o significado de fazer parte da humanidade. Mais de 2 mil mulheres e homens, naturais de 60 países,  foram entrevistados para que o cineasta fizesse um compilado sobre as diferentes noções que as pessoas têm sobre nossa jornada na Terra. 

The True Cost

O documentário The True Cost mostra a faceta escondida da indústria da moda e nos faz refletir sobre como nossos hábitos de compra podem alimentar uma cadeia pouco ética que sustenta os baixos preços em fast-fashions. Andre Morgan viaja por países em que a produção dessas roupas é terceirizada, como Bangladesh e Índia, mostrando as chocantes condições de trabalho que muitas pessoas vivem. 

Cosmos

O documentário Cosmos, narrado por Carl Sagan é quase como uma viagem no tempo passando por várias figuras importantes da história e por diversas áreas do conhecimento. Desde a lança de pedra até a Teoria da Relatividade; desde os primeiríssimos milionésimos de segundo do Universo e todo o desenvolvimento que seguiu a partir daquele momento. 

O Século do Ego

O Século do Ego é uma série de documentários da BBC lançado em 2002 pelo cineasta Adam Curtis. Ele se concentra na psicanálise de Sigmund Freud e no uso de suas teorias sobre desejos inconscientes para controle das massas, com destaque para corporações incitando o consumismo e políticos tentando manipular os eleitores. Outra figura central no documentário é Edward Bernays, o sobrinho do Tio Freud que inventou a profissão de relações públicas.